Skip to Store Area:

Editora Terceiro Nome

Você está agora em:

O dia em que eu deveria ter morrido, de Javier Arancibia Contreras

O dia em que eu deveria ter morrido, de Javier Arancibia Contreras

Enviar para um amigo

Seja o primeiro a comentar este produto

Disponibilidade: Em Estoque.

R$30,00
Acrescentar itens ao carrinho Adicionar ao Carrinho

Descrição Rápida

Autor Javier Arancibia Contreras
Páginas 144
ISBN 9788578160715
Projeto gráfico Delfin - Studio Del Rey
Formato 14 x 21 cm
Acabamento Brochura





Veja aqui o que já saiu na imprensa

Em "O dia em que eu deveria ter morrido", um jornalista em busca de sua ex-mulher desaparecida misteriosamente mergulha em uma jornada de redenção que passará por uma pequena cidade sem nome, São Paulo e Istambul, onde o acaso fará dele protagonista de um incidente de proporção mundial. Transformar-se em notícia e celebridade internacional é apenas mais um elemento que faz com que sonho e realidade sejam separados por linhas tênues de uma mesma história. Sob os escombros do passado, o personagem nos contará as tentativas de acerto de contas com antigos fantasmas, materializados nas mulheres marcantes de sua vida: a mãe do melhor amigo de infância, a sobrinha de uma empregada do colégio de padres, uma prostituta de luxo em Istambul – todas presentes também, de alguma maneira, na figura atormentada da ex-mulher desaparecida. Javier Arancibia Contreras, finalista do Prêmio São Paulo de Literatura 2009 e destaque entre os nomes da nova literatura brasileira, flerta em seu novo romance com uma história de morte e culpa. O notável domínio narrativo favorece o relato de acontecimentos tão inconstantes quanto os pensamentos vertiginosos do personagem-narrador. Retrato preciso de uma era em que palavras como violência e espetáculo confundem-se nas manchetes de jornal, o romance relata, ao mesmo tempo, uma avassaladora jornada particular de frenesi e redenção.

Javier Arancibia Contreras nasceu em 1976. Durante anos, foi repórter policial em São Paulo. Escreveu o romance Imóbile (7Letras, 2008), finalista do Prêmio São Paulo de Literatura 2009 e o livro-reportagem Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz (Boitempo Editorial, 2002).

Você pode também estar interessado nos seguintes produtos

Nunca o nome do menino, de Estevão Azevedo

Nunca o nome do menino, de Estevão Azevedo
R$33,00

As flores do jardim da nossa casa, de Marco Lacerda

As flores do jardim da nossa casa, de Marco Lacerda
R$42,00

Romãs maduras, de Marco Antonio Arantes

Romãs maduras, de Marco Antonio Arantes
R$30,00

Contrafeito, de Juliano Ribas

Contrafeito, de Juliano Ribas
R$40,00

Amores e tropeços, de Sylvia Loeb

Amores e tropeços, de Sylvia Loeb
R$37,00
Outras pessoas marcaram este produto com as seguintes tags:
Acrescentar suas Tags:
Acrescentar Tags
Utilize espaços para separar tags. Utilize aspas simples (') para frases.